sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Pierre Passot 236 horas de mergulho!

com mascara respiratória em piscina no Salão Náutico de 1983 –Recorde Mundial ainda não ultrapassado!

Pierre Passsot, em entrevista para SoniaMar, revela como foi um dos momentos mais vibrantes de sua carreira como mergulhador.

Momento importante para a história
mundial do Mergulho!
No dia 20 de junho de 2012, indo para o aeroporto da cidade de São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, com destino a seu país de origem, a França, Pierre Passot, numa entrevista para SoniaMar, relata uma das experiências que marcou sua vida como mergulhador. Um Recorde mundial, conquistado em 1983, onde vivenciou uma experiência inédita até então. Um mergulho com duração de 236 horas, em uma piscina com 40 metros cúbicos de água do mar, no Salão Náutico de 1983.
Pierre Passot trabalhou no centro de estudos hyperbares da  Comex[1],  na França participando das operações de pesquisas cientificas feita no laboratório. Esta empresa é a precursora mundial de engenharia e tecnologia nesta área. As intervenções humanas ou robotizadas em mergulho profundo eram necessárias para o estudo fisiológico e ergonômico dos profissionais de mergulho.
O Convite para que Pierre Passot participasse desse momento histórico em sua carreira, veio de Georges Pernoud, jornalista, que em 1975 propôs um programa esportivo de TV denominado “thalassa” para a televisão francesa, cujo objetivo do Programa era mostrar o Mar, e seus profissionais.  Para valorizar o trabalho silencioso de Pierre Passot, este jornalista propôs a Jean- Pierre Jouët, um dos criadores do Salão Náutico de Paris, o evento denominado 236 horas embaixo d’água.  Jean- Pierre Jouët aceitou o desafio de Pierre Passot, apoiou o projeto para que ele, de fato, se consolidasse.
O Objetivo deste projeto era fazer um estudo do comportamento fisiológico e ergonômico para os “MERRIENS” pessoas que, num futuro próximo, iriam Habitar e trabalhar no fundo do mar exercendo atividades diversas. O que naquele ano era uma experiência ainda em curso, hoje em dia se pode constatar muito daquelas técnicas usadas na exploração de petróleo no fundo do mar e na camada de pré-sal[2].
Com um volume 40 metros cúbicos de água do mar, em Roscoff[3]·, pequena cidade na Bretanha, com a água na temperatura de 7 graus centigrados. O Mergulho foi feito com uma vestimenta úmida em neoprene de 7 mm, a   mascara  de mergulho Comex e o tempo de  imersão foi de  236 horas, (10 dias aproximadamente).

Importantes profissionais de diversas instituições estiveram engajados neste grande momento histórico para o mergulho!
A operação toda foi observada por um fisiologista da Comex, Bernard Gardette  hoje  diretor cientifico da Empresa. Ele foi à pessoa que substituiu Dr. Xavier Fructus, o medico que mais trabalhou para o avanço do mergulho profundo no mundo.  Outros parceiros que participaram do monitoramento deste acontecimento foi o Serviço de Saúde do Corpo de Bombeiros de Paris,  DRAIDE - Direction de Recherche ET des Etudes techniques de l’arme en France, que patrocinou financeiramente o projeto, as enfermeiras em medicina hyperbare Muriel Carrion e outra enfermeira hyper barista indicada pelo Serviço dos bombeiros de Paris. Esta ultima vinha fazer controle de sangue todos os dias, durante 10 dias. O Serviço de segurança em mergulho foi acompanhado por Frédéric Mayol sobrinho de Jacques Mayol
Com esta equipe a seu dispor, Pierre Passot, realizou um grande feito e quebrou o recorde mundial naquele ano, contribuindo para mudar o paradigma do mergulho e abrir caminho para o futuro. O mergulho profundo para fins de trabalho, pesquisas submarinas e captação de imagens para diversos objetivos hoje é realidade.

FREMY, Dominique; FREMY, Michele. QUID 2000, Ed. Robert Lafond. Paris, 2000, p. 1385.

[3] Roscoff, é uma cidade na Bretanha, na Baia de Morlaix, uma cidade de corsários e de sonhos. http://www.roscoff-tourisme.com/

Um comentário:

  1. “Aqueles que param esperando as coisas melhorarem, acabarão descobrindo mais tarde que aqueles que não pararam estão tão na frente que não poderão ser mais alcançados”.
    PARABÉNS Pierre...

    ResponderExcluir